sexta-feira, novembro 19, 2021

Governo do Paraná deve encaminhar proposta de reajuste para servidores na próxima semana, diz Ratinho Jr

O governo do Paraná deverá enviar na próxima semana à Assembleia Legislativa uma proposta para reajustar os salários dos servidores estaduais, disse na manhã desta quinta-feira (18) o governador Carlos Massa Ratinho Jr (PSD) em entrevista à rádio CBN Curitiba. O governador ainda falou sobre a previsão de déficit nas contas do estado para 2022, a licitação para a contratação de novas empresas de pedágio e obras rodoviárias.

Segundo Ratinho Jr., o estudo sobre o reajuste dos servidores está sendo concluído pela Secretaria da Fazenda. "Nossos servidores merecem ter algum tipo de reajuste, mas claro que temos que cuidar do orçamento do estado", disse. "Espero que até a semana que vem possamos encaminhar isso para a Assembleia Legislativa. Claro que obviamente não será um reajuste de grande vulto, porque não podemos colocar em risco o caixa do governo. Queremos de alguma maneira fazer com que o servidor tenha uma perda menor nesse momento em que a inflação está acima do normal".

O governador destacou que a previsão orçamentária para 2022 prevê um déficit de R$ 3 bilhões, mas disse apostar na recuperação da economia para equilibrar as contas. "Temos uma lei orçamentária, mandada para a Assembleia Legislativa, com previsão de um déficit de R$ 3 bilhões. Com a geração de empregos, o crescimento da indústria, de 13,3%, o comércio crescendo 10%, a geração de 170 mil empregos, temos uma tendência de retomada". 

Pedágio

Ratinho Jr. voltou a dizer que as tarifas de pedágio serão reduzidas em 50%, em média, com a licitação para a contratação de novas empresas. "É uma novela trágica no Paraná há 24 anos. Quando o pedágio foi implantado no Paraná eu tinha 16 anos", afirmou o governador. "É um histórico de 24 anos de mentira, de roubalheira e de safadeza, de ter o pedágio mais caro do Brasil sem ter obras e duplicações". Segundo ele, em algumas praças o valor da tarifa poderá ser reduzido em até 70%. "Com obras no início do contrato. Foi um grande erro desse contrato que está terminando, jogaram as obras para o final do contrato. A empresa ficou 20 anos faturando para depois fazer as obras".

O governador disse ainda que o governo poderá contratar empresas temporárias enquanto as novas empresas não assumirem as concessões. "Nesse período em que não teremos pedágio será um esforço gigantesco. Estamos esturutando com a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Rodoviária Estadual, abrimos licitações para a manutenção das estradas. E estamos potencializando o sistema de saúde".

Nenhum comentário:

Postar um comentário