sábado, outubro 23, 2021

Paraná apresenta a terceira maior taxa de vitimização de crianças e adolescentes por violência sexual

         O Paraná apresenta a terceira maior taxa de vitimização por estupro ou estupro de vulnerável de crianças e adolescentes de 0 a 19 anos. É o que aponta o relatório do Panorama da Violência Letal e Sexual Contra Crianças e Adolescentes no Brasil, lançado nesta sexta(22), pelo Unicef, braço das Nações Unidas para a infância, e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). O estudo apontou que sete mil crianças e adolescentes são mortas de forma violenta no país e ao menos 45 mil são vítimas de violência sexual . No ano passado, 300 menores de até nove anos foram mortos de forma violenta no País. Foi praticamente um caso por dia, boa parte deles dentro da própria casa.

O mesmo vale para a violência sexual, em geral também cometida dentro de casa por pessoas próximas. Já os adolescentes, que representam a maioria das vítimas, são mortos majoritariamente na rua. São vítimas, apontam os pesquisadores, da violência armada e do racismo. O estudo também destaca a alta proporção de jovens mortos durante intervenções policiais. Em todas as idades, as principais vítimas de mortes violentas são os meninos negros.

O perfil, no entanto, se intensifica ainda mais na adolescência. Para os meninos, a faixa etária dos 10 aos 14 anos marca a transição da violência doméstica para a prevalência da violência urbana. Nesta idade, começam a predominar mortes fora de casa, por arma de fogo e por autores desconhecidos.

O trabalho é uma análise inédita dos boletins de ocorrência das 27 unidades da Federação registrados nos últimos cinco anos e abrange além da violência sexual contra crianças e adolescentes, as mortes violentas intencionais como o : homicídio doloso, feminicídio, latrocínio, lesão corporal seguida de morte, mortes decorrentes de intervenção policial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário