terça-feira, setembro 21, 2021

Gaeco faz operação em unidades prisionais contra a lavagem de dinheiro

Quatro mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária foram cumpridos na manhã desta terça-feira (21) em Curitiba e Londrina, no Norte do estado, como parte da operação Praia Brava, que investiga crimes de lavagem de ativos e organização criminosa. Segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), detentos de unidades prisionais do estado participaram do grupo criminoso. A operação foi feita por meio dos núcleos regionais de Londrina e Curitiba do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com o apoio do Departamento Penitenciário e da Polícia Militar. As medidas foram decretadas pelo Juízo Criminal do Foro Central de Londrina.

As ordens judiciais tiveram como alvos uma residência e unidades prisionais ligadas a investigados que, segundo as apurações, atuariam na lavagem de recursos em prol de organização criminosa radicada em diversos presídios paranaenses.

De acordo com as investigações, ao menos desde 2018, pessoas ligadas a supostos integrantes de organização criminosa com conexões em prisões receberam e movimentaram elevadas quantias de dinheiro de origem suspeita, com repasse de valores para terceiros. Também está sendo apurada aquisição de bens com valores substanciais, sem a necessária justificativa da origem dos recursos financeiros, além de diversas transações de compra e venda de veículos e consórcios de alto valor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário