domingo, agosto 22, 2021

CGH Nogueira deve começar a gerar energia elétrica dentro de dois meses

A Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Nogueira, localizada no Rio Chopim, município de São Jorge D’Oeste, deve entrar em operação em, no máximo, dois meses. A revelação foi feita ao Jornal de Beltrão por Marcos Della Justina, engenheiro civil da empresa Rio Chopim Energia, responsável pela usina. Na CGH Nogueira são sete turbinas, que estão totalmente submersas, assim como o gerador, com capacidade instalada de cinco megawatts (cinco MW), ou, cinco mil kilowatts.

Na região, existem mais algumas geradoras de energia que estão em fase de construção.“São turbinas do tipo SteamDiver, importadas da Áustria e que estão encapsuladas, submersas. Agora estamos na fase de ajustes e acredito que dentro de dois meses a central passe a funcionar de forma efetiva.” 

A energia gerada na CGH Nogueira será destinada para o mercado livre e, conforme diz, poderá ser distribuída para qualquer lugar do País. A capacidade da usina será suficiente para abastecer aproximadamente 12.500 residências. A obra na CGH Nogueira teve início no ano de 2019, com cerca de 60 funcionários, e os investimentos foram na ordem de R$ 30 milhões, com recursos de um banco francês, via Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Preservação ambiental

Para a construção de toda central de geração de energia elétrica, é necessária a liberação por parte dos órgãos ambientais, justamente por que esse tipo de obra promove impactos ao meio ambiente. Porém, de acordo com o engenheiro, para a CGH Nogueira a liberação aconteceu de forma mais ágil, justamente pelo baixo impacto ambiental que vai proporcionar. “Temos nesse local aproximadamente 400 hectares de mata atlântica nativa, mas houve a supressão de menos de um hectare, que será reposto, obviamente. Tivemos todo acompanhamento de biólogos para que esse processo se tornasse viável e fosse possível.”Marcos revela ainda que foi possível observar um casal de onça parda naquele local durante as obras da CGH. “Havia também um filhote desse casal, que estava na barranca do rio. Conseguimos resgatá-lo e demos a ele o destino correto, o zoológico do município de Cascavel.” Ele informa ainda que o município de São Jorge D’Oeste tem projetos para transformar aquela área em um parque de preservação para visitas e estudos.

Operação remota

Como acontece em todas as centrais geradoras de energia construídas pela Rio Chopim Energia, a CGH Nogueira também será operada de forma remota. Na usina, em São Jorge D’Oeste, deve permanecer apenas um funcionário todos os dias, como mantenedor para limpeza e assistência rápida. “De forma adicional, contratamos uma empresa de Francisco Beltrão, que faz o monitoramento remoto de várias usinas. Essa empresa conta com um funcionário em tempo integral, 24 horas por dia, sete dias por semana e ele faz também o monitoramento de outras usinas espalhadas pelo Brasil.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário