terça-feira, julho 20, 2021

Vestibular dos Povos Indígenas do Paraná reúne 550 candidatos

Cerca de 550 estudantes indígenas de diferentes etnias participaram no domingo (18) e nesta segunda-feira (19) das provas do 20º Vestibular dos Povos Indígenas do Paraná. Eles concorrem a vagas nas sete universidades estaduais do Paraná (UEL, UEM, UEPG, Unicentro, Unioeste, Uenp e Unespar) e na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Nas universidades estaduais são ofertadas 42 vagas suplementares, sendo seis para cada instituição, destinadas exclusivamente para os índios integrantes das sociedades indígenas do Paraná. A UFPR oferta 10 vagas suplementares nos cursos de graduação para os índios integrantes das sociedades indígenas do Brasil.

Nesta edição, a aplicação das provas ocorreram nas cidades de Manoel Ribas, Nova Laranjeiras, Mangueirinha, Londrina e Curitiba, seguindo os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19. O resultado está previsto para o dia 1º de setembro.

O Governo do Estado, por meio da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) financia o processo seletivo. Em 2021 foram investidos R$ 380 mil na organização e execução das provas.

“O vestibular indígena é uma política pioneira no Brasil de transformação social na vida dos estudantes, possibilitando o ingresso em cursos de graduação que são referência no Brasil”, afirma o coordenador de Ciência e Tecnologia da Seti, Marcos Pelegrina.

No primeiro dia foi realizada prova oral sobre Língua Portuguesa e, no segundo dia, redação e prova objetiva com questões de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira ou Indígena, Biologia, Física, Geografia, História, Matemática e Química. Nesta edição, a Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp) é a instituição encarregada da aplicação das provas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário