sábado, novembro 13, 2021

Aumento nos preços dos insumos assusta produtores rurais

A alta nos insumos, especialmente nos fertilizantes e defensivos agrícolas, tem tirado o sono dos agricultores paranaenses. Em todas as regiões do Estado, a história se repete. Com os insumos da safra de verão 2021/22 e da safrinha de 2022 já garantidos, agora começa a corrida para planejar a compra de 2022/23. Só que os preços estão até 400% mais elevados, conforme relatos de produtores rurais feitos durante reunião da Comissão Técnica de Cereais, Fibras e Oleaginosas, do Sistema Faep/Senar (PR), realizada de modo remoto nesta semana.

O presidente da CT, José Antônio Borghi, enfatizou ao longo do encontro que não é a hora de se desesperar e comprar insumos a qualquer preço. “Para comprar errado, não precisamos ter pressa. Temos acompanhado especialistas falando que é provável que no ano que vem haja uma melhora nas cotações dos insumos, acredito que precisamos ter paciência e não aceitar a pressão para comprarmos nesses preços fora da realidade que estamos vendo atualmente.

Milho e soja vão bem

Na rodada de conjuntura das regiões, os produtores rurais relataram que o plantio da soja, de modo geral, está na reta final ou mesmo concluído. Tirando problemas pontuais, na média a oleaginosa até agora tem apresentado desenvolvimento satisfatório. Há poucas áreas com trigo para colheita neste ano em que o cereal está com uma qualidade abaixo da média histórica. O milho verão tem uma área pequena comparada com a soja, mas o que foi plantado com o cereal tem apresentado bom desenvolvimento, segundo os produtores.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário