quarta-feira, julho 07, 2021

Quedas do Iguaçu - Mulher traficante é presa pela Rotam

A equipe da Rotam recebeu denúncias anônimas de que em uma residência houve em dias anteriores, disparos de arma de fogo e ainda estaria ocorrendo o crime de Tráfico de Drogas.

 A denúncia apontava também que a responsável pela residência era uma mulher.

 Munidos da informação a equipe efetuou patrulhamentos no local e ao se aproximar da casa, alvo das denúncias, pode perceber uma mulher correndo para detro da residência ao avistar a viatura policial.

 Diante do fato a equipe policial chegou na casa e conversou, do lado de fora com a mulher que se identificou como sendo a proprietária da residência onde foi informada pelos policiais da denúncia.

 De primeiro momento ela negou tal acusação dizendo a equipe policial que não havia nada de ilícito no interior de sua casa e franqueou, após solicitação da equipe, a entrada na residência para realização da busca.

 Na residência também estavam dois indivíduos e mais uma mulher.

 Com as pessoas nada de ilícito foi encontrado, porém após buscas no interior da moradia foram localizados os seguintes objetos. No quarto da responsável pelo imóvel a equipe encontrou uma arma de pressão, tipo “garrucha” broqueada para cal. 22- dentro da “câmara da arma” havia uma capsula deflagrada de calibre .22.

 Dentro de um objeto decorativo (pato) foi encontrado um potinho contendo 06 (seis) porções de substância análoga ao CRACK, sendo 05 (cinco) envolvidas em papel alumínio e 01 (uma) envolvida em papel filme totalizando 3,4 gramas, mais a quantia de R$ 70,00 em espécie e um pedaço de papel filme possivelmente para embalar a droga.

 Em uma gaveta foi encontrado uma balança de precisão cinza, também foi encontrado duas cadernetas contendo anotações como “8 bolinhas, 42 bolinhas, 45 bolinhas...” também alguns nomes e alguns valores na caderneta.

 Diante de todo o exposto a mulher, de livre e espontânea vontade, relatou que está desempregada e está vendendo drogas para o sustento, que as anotações das cadernetas são de dividas e devedores e que comprou a arma recentemente para proteção.

 O fornecedor das drogas e da arma a mesma não quis relatar por medo de sofrer consequências.

 Diante disso, foi dado voz de prisão a ela e encaminhada juntamente como o material apreendido para a confecção do boletim de ocorrência e posteriormente entregue na Delegacia de Polícia Civil a fim de serem adotadas as medidas da polícia judiciária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário