segunda-feira, julho 26, 2021

FERIADO - Cidade de Laranjeiras do Sul comemora , dia da sua '' PADROEIRA '' Sant’Ana


Santa Ana ou Sant’Ana é a mãe de Nossa Senhora e avó de Jesus. O nome “Ana” vem do hebraico “Hanna” e significa “graça”. Sobre ela, porém, há poucos dados biográficos. Santa Ana era de família descendente do sacerdote Aarão e esposa de São Joaquim que, por sua vez, era descendente da família real de Davi. 

Santa Ana tinha um grave problema: era estéril não conseguindo engravidar mesmo depois de anos de casada. Santa Ana e São Joaquim, porém, eram pessoas de fé e confiavam em Deus, apesar de todo sofrimento que viviam. Confiando na graça de Deus, São Joaquim retirou-se ao deserto para rezar e fazer penitência, quando um anjo do Senhor lhe apareceu, dizendo que Deus havia ouvido suas preces.

Pouco tempo depois que São Joaquim voltou para casa, Ana engravidou. Deus estava preparando aquele casal para gerar Maria, a virgem pura concebida sem pecado. Assim, Santa Ana tem importante papel na História da Salvação, não só por ter gerado Maria, mas também pela formação que possibilitou à futura Mãe do Salvador.

História da Paróquia Sant’Ana

A presença da Igreja Católica Apostólica Romana em Laranjeiras do Sul e região aconteceu ainda no século XVI, quando os Padres Jesuítas, na intenção de evangelizar as populações, passaram pela região fazendo os primeiros contatos com os índios. Eles tinham o objetivo de fundarem pequenas comunidades que à época, eram chamadas de Reduções. A ideia, segundo os relatos históricos, era evangelizar as populações de uma grande área de terras que margeavam o Rio Paraná.   

No ano de 1895, quando já existia um pequeno vilarejo onde hoje é a cidade de Laranjeiras do Sul, o Padre Domingos Piacenti foi o primeiro sacerdote a visitar esta parte do Paraná em trabalho oficial. Seu objetivo principal era conhecer os moradores e saber mais de suas necessidades, de seus anseios enquanto povo de Deus. Ele, que trabalhava em Guarapuava, percorreu os mais de cem quilômetros de distância a cavalo, para celebrar missas e fazer batizados naquela que era uma distante comunidade. Sem a existência de igreja, as celebrações aconteciam nas casas das famílias. Naquelas ocasiões, os vizinhos do entorno se reuniam e acompanhavam as missas. Além dos batizados, muitos casamentos também eram realizados. As visitas do Padre eram motivos de grandes festas.  

Mais tarde, onze anos depois, em 1906, foi construída a primeira Capela do povoado, passando, nos anos seguintes, por varias ampliações e mudanças no sentido de acolher com maior comodidade à população crescente no povoado.

O decreto n° IV, de 24 de novembro de 1933, assinado por Dom Antonio Mazzarotto, Bispo Diocesano de Ponta Grossa, autorizava a fundação da Paróquia Sant`Ana. O primeiro Pároco daquela novíssima comunidade foi o Padre João Gualberto Pogrzeba, pertencente à Sociedade do Verbo Divino (SVD). Quase meio século depois da construção da primeira Capela, coube ao Padre Clemente Kampmann, empossado como Pároco em 1953, a tarefa de construir a atual Igreja Matriz. Houve muita mobilização por parte da comunidade no sentido de arrecadar fundos para eu os trabalhos de edificação fossem iniciados.

A obra, tida como uma das mais belas de todo o Paraná em se tratando de arquitetura sacra, foi concluída na Páscoa de 1955, que foi celebrada naquele ano, no dia 10 de abril.

No ano de 1959, com apoio da comunidade e um trabalho considerado muito delicado para a época, foi instalada a imagem de Sant`Ana sobre a Torre da igreja.

No dia 05 de março de 1961, foi empossado como Pároco o Padre João Tonetto. Ele, no entanto, deu início aos trabalhos dos Missionários Xaverianos (SX) em Laranjeiras do Sul, que permanecem até hoje na comunidade.

Com uma população de maioria Católica, o município de Laranjeiras do Sul, através da Paróquia Sant’Ana, conta com 46 Comunidades e dois Padres para realizar os trabalhos religiosos.

Com o tempo, muitas coisas mudaram seguindo o curso natural dos acontecimentos. A cidade cresceu, a vida se modernizou e, em certos momentos algumas coisas parecem ter ficado num passado distante. Porém, em se tratando da Paróquia Sant’Ana, a essência permanece e a comunidade continua latente, viva e cheia de vontade de continuar o legado cristão da evangelização.

Nos cinquenta anos de existência da Diocese de Guarapuava, ter a Paróquia Sant’Ana em Laranjeiras do Sul como uma Igreja solidária e pujante, é motivo de muitas alegrias e comemorações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário