quarta-feira, junho 23, 2021

Município de Ponta Grossa inicia trâmites para ter aeroporto internacional

 A Prefeitura de Ponta Grossa já iniciou os trâmites para viabilizar que o Aeroporto Comandante Antonio Amilton Beraldo, mais conhecido somente como ‘Sant’Ana’, se torne internacional. De acordo com a prefeitura, já houve um contato com os órgãos necessários para que isso seja possível, para viabilizar que o aeroporto possa receber voos e aeronaves internacionais. Em um primeiro momento, a intenção é que o aeródromo do município possa receber voos particulares, especialmente pelo perfil da cidade, de ter muitas indústrias multinacionais, que recebe executivos de outros países.

No Paraná hoje existem apenas dois aeroportos que permitem pousos e decolagens de aeronaves internacionais: é o Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e o Aeroporto de Foz do Iguaçu/Cataratas. “Todos os aviões que vem ou vão para outros países, devem utilizar apenas estas estruturas para então irem para o destino desejado. Ponta Grossa busca ser o 3º município no Paraná a oferecer este serviço”, revelou o município, na nota.

De acordo com a prefeitura, o poder executivo já formalizou essa a solicitação junto à Polícia Federal, Receita Federal e Anvisa, “em virtude de serem órgãos responsáveis por concederem a autorização de entrada e saída de passageiros no Brasil”. Para o secretário José Loureiro Neto a liberação será muito importante para o atual cenário da cidade. “Receberemos mais recursos, teremos um atrativo para visitantes passarem por aqui, profissionais de multinacionais da cidade e da região poderão vir direto para a cidade, será uma funcionalidade adicional para que a estrutura seja mais completa”, disse Loureiro.

Questionado sobre a real viabilidade dessa ‘chancela’ para receber voos de outros países, o secretário afirma que é possível, sim, que o aeroporto do município se torne internacional, contribuindo ainda mais para os negócios com outros países. 

“É viável porque a estrutura não ficaria montada, mas funcionaria por agendamento, com 72 horas de antecedência. Dessa forma, avisaríamos a Polícia Federal e a Receita Federal, que enviariam os profissionais para aeroporto”, assegura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário