quarta-feira, abril 28, 2021

Vereador de Cianorte investigado em esquema de 'rachadinha' tem mandato cassado

O vereador de Cianorte, no noroeste do Paraná, Adaílson Carlos Ignácio da Costa, também conhecido como Dadá (Podemos), teve o mandato cassado durante uma sessão extraordinária realizada na terça-feira (27). O parlamentar é investigado em um esquema de "rachadinha".

Dadá chegou a ser preso, em novembro de 2020, após uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) que apura as irregularidades. Ele é acusado de ficar com parte do salário de um assessor.

Os nove vereadores que participaram da sessão votaram a favor da cassação do mandato do parlamentar. Eram necessários sete votos para que Dadá perdesse o mandato.

Segundo a decisão, o vereador foi cassado por improbidade administrativa e falta de decoro. Ele será substituído pela Professora Neuza Casassa (Podemos), que foi eleita suplente.

O vereador também responde a processos na Justiça por conta das investigações.

A defesa informou que irá entrar na Justiça para reverter a cassação do mandato.

Investigações

Segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), as investigações começaram em julho de 2020 após denúncia anônima. A operação contra o parlamentar e o assessor foi deflagrada no fim de novembro.

NÀ época, Dadá e o assessor foram presos. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) ainda cumpriu mandados no gabinete do vereador.

De acordo com o MP-PR, em uma das apurações, o vereador e o assessor se encontraram e os investigadores flagraram o assessor repassando dinheiro para o parlamentar.

No flagrante, ainda conforme os autos, o assessor afastado do cargo por licença médica foi visto entregando R$ 250 ao vereador, na Câmara.

Ao ser questionado pelos policiais, o assessor disse que, no dia anterior, recebeu R$ 2 mil do vereador para pagamento de despesas e que estava devolvendo os valores pagos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário