sexta-feira, abril 16, 2021

OBRA do CADEIÃO de FOZ do IGUAÇU deve desafogar carceragens de DELEGACIAS de Guarapuava e Região

O canteiro de obras da Cadeia Pública de Foz do Iguaçu segue ativo para acelerar a entrega da unidade ao Departamento Penitenciário do Paraná ainda este ano. A obra já está com 75% das instalações prontas e o investimento é de R$ 18.198.229,75 milhões, oriundos dos governos federal e estadual e vai desafogar a região que por muitos anos sofre com a quantidade de presos. 

O secretário da Segurança Pública, coronel Romulo Marinho Soares, visitou a obra durante cumprimento de agenda na região na última para certificar-se da qualidade e andamento. “Sempre buscamos visitar os canteiros para ver in loco o andamento das instalações, se falta algo, se os trabalhos estão em dia, o que é muito importante para uma conclusão adequada”, disse. 

O coordenador regional do Depen de Foz do Iguaçu, Marcos Aparecido Marques, juntamente com sua equipe de gestão, recepcionou o secretário Marinho e mostrou em detalhes a obra, que já avançou na construção de galerias e dos espaços operacionais e administrativos da cadeia. “Com a conclusão da Cadeia Pública, que faz parte do projeto de ampliação do sistema prisional da região, teremos mais 752 vagas. Isso vai permitir o desafogamento de carceragens e poderemos dar suporte para esvaziar as delegacias das regiões de Francisco Beltrão e de Guarapuava”, explicou Marques.

A comitiva também acompanhou a chegada de presos que foram transferidos da delegacia de Matelândia à Cadeia Pública Laudemir Neves e visitou a Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu I, que recentemente foi inaugurada e conta com 501 vagas.

Mesmo com os desafios impostos pela pandemia, os trabalhos prosseguem dia após dia para que o espaço esteja pronto para receber os apenados. O secretário Marinho destacou que os investimentos do Governo do Estado e do Governo Federal tem sido aplicados na construção de penitenciárias e cadeias públicas para reestruturar o sistema carcerário em todo o Paraná.

“Estabelecemos um novo fluxo de trabalho que conta com a desativação das carceragens de delegacias de polícia, a transferência de presos para a custódia do Depen e a construção de novas unidades penais e ampliação de outras já existentes. Com a conclusão desta obra, poderemos trazer presos de outras regiões próximas para Foz do Iguaçu e isso beneficia outras regionais do Departamento Penitenciário”, explicou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário