sexta-feira, março 19, 2021

Paraná inicia implantação do Vale do Genoma, em Guarapuava

 O Paraná deu um novo passo para a implantação do Vale do Genoma, um polo de startups voltado para a pesquisa genética que será instalado em Guarapuava, no Centro do Estado. Nesta quinta-feira (18), o superintendente estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), Aldo Nelson Bona, assinou um Memorando de Entendimento (MOU), firmado entre o setor público e a iniciativa privada, com participação da comunidade científica, estabelecendo as diretrizes para criação do Conselho Curador do Vale do Genoma.

Pioneiro no Brasil e no mundo, o Vale do Genoma será um ecossistema de inovação com abordagem na pesquisa genômica e em inteligência artificial aplicada à saúde, com ênfase também em agricultura e agropecuária. A iniciativa é articulada pelo Governo do Estado, por meio da Seti, com a participação da academia e da iniciativa privada. A ideia é desenvolver um modelo de coopetição, um conceito organizacional que alia a cooperação à competição e que favorece o crescimento de segmentos empresariais e profissionais.

ESTRUTURA – O Vale do Genoma fará parte da estrutura da Cidade dos Lagos, bairro planejado inteligente de Guarapuava, que já conta com câmpus da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), além do Hospital Regional de Guarapuava, o Cancer Center e o Instituto para Pesquisa do Câncer de Guarapuava (Ipec).

“Neste momento dramático que vivemos com a pandemia, percebemos que somente através da ciência, com pesquisas e vacinas, poderemos avançar, precisamos cada vez mais investir em pesquisas”, afirmou o prefeito de Guarapuava, Celso Góes. “Este projeto traz uma esperança para a cidade, tanto na geração de emprego, como na busca pela cura de diversas doenças. É um momento histórico para Guarapuava”, disse.

Livinsgstone explicou que a estrutura laboratorial vai dispor de equipamentos de última geração para o armazenamento e processamento de dados. “A pandemia ajudou a acelerar o processo para implantação do Vale do Genoma, que será um ecossistema diferenciado porque vai concentrar todos os níveis de conhecimento, desde a pesquisa básica até aquelas desenvolvidas por empresas, no modelo do Vale do Silício, nos Estados Unidos”, explicou. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário