segunda-feira, fevereiro 15, 2021

Policiais militares conseguem tirar homem da forca em Guarapuava

  A equipe PM da RPA foi acionada para verificar uma situação, onde segundo informações de uma mulher, 20 anos seu companheiro estava alterado na residência, com uma faca, tentando contra a própria vida. Sendo que esta mulher teve que pedir ajuda na casa da sua genitora.

No local a solicitante, estava em via publica, em frente a residência, informou a equipe que seu companheiro, 34 anos estava alterado no interior da residência e tentava o contra a própria vida.

Rapidamente a equipe foi até a residência, onde se deparou com a porta e janelas fechadas, após visualizar (pelo vidro) uma faca encima da mesa da cozinha, foi tentado verbalizar com o senhor, o qual não respondeu, ao visualizar na janela do banheiro, pelo vidro foi possível ver uma corda amarrada no madeiramento do telhado da casa e ao subir em uma cadeira que ali estava, foi possível visualizar pela mesma janela que o homem estava amarrado na corda e desacordado.

Diante do fato a equipe veio a arrombar a porta e, ao chegar no banheiro se disparou com o individuo pendurado por uma corda, a qual encontrava-se amarrada em uma viga no teto da casa, a mesma estava tracionada e os joelhos do homem estava há alguns centímetros do chão, foi primeiramente verificado os sinais vitais do mesmo, o qual apresentava respiração e batimentos cardíacos muito fracos e estava inconsciente, com a pele da face na coloração roxa.

Foi então que a equipe ergueu o mesmo, apoiando-o nos ombros, sendo que a corda foi retirada do seu pescoço e cortada.

Realizado os primeiros socorros e massagem cardíaca, na tentativa de reanimá-lo, onde notou-se que a respiração e batimentos voltaram aos poucos a se normalizar, foi isolado o local e entrado em contato com o Samu, os quais realizaram o atendimento ao homem.

Vale ressaltar que neste momento o ele já estava consciente, foi então repassado para avaliação da equipe do Samu. foram orientados os familiares que estavam no local, quanto aos procedimentos legais cabíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário