segunda-feira, fevereiro 15, 2021

Investimento na Ponte da Integração já alcança R$ 104 milhões

A Itaipu Binacional já investiu R$ 104 milhões nas obras da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco. A execução segue próxima de atingir 45% e, apesar das chuvas de janeiro, o cronograma foi mantido, com previsão de conclusão em 2022. Esses indicadores constam no último boletim divulgado pelo consórcio responsável pelos trabalhos e pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), responsável pela fiscalização do contrato.

No lado brasileiro, iniciou-se a execução do mastro principal (apoio número 6) e o deslocamento do quarto trecho da futura pista de rolamento. Trata-se de uma estrutura de concreto armado com 20 metros de largura, 27 metros de comprimento e 1.050 toneladas. Já o mastro principal, que vai conectar os tensores da ponte estaiada, alcançou quase 90 metros de altura. Ao final da construção, essa estrutura vai chegar a 190 metros.

 No lado paraguaio, o trabalho em janeiro concentrou-se na execução da caixa de equilíbrio (apoio número 1) e no mastro principal (apoio 5). Na caixa de equilíbrio, será deslocado o primeiro trecho da pista de rolamento, uma estrutura em concreto armado com 20,50 metros de largura e 26,02 metros de comprimento, com aproximadamente 1.300 toneladas. No mastro principal da margem paraguaia, foram executadas a primeira e a segunda etapas de concretagem, de um total de 21 etapas necessárias. No final, a estrutura terá 180 metros de altura.

Também está em andamento a segunda campanha de monitoramento da fauna na região das obras de implantação da ponte. A primeira campanha foi realizada durante o inverno, nos meses de julho e agosto de 2020, e mostrou uma importante presença de fauna na região. Foram registrados 1.858 animais de 179 espécies distintas. O maior número foi do grupo das aves, com 1.506.

O diagnóstico ambiental realizado durante a execução das obras fornece referências sobre as condições do meio ambiente e permite análise mais acertada sobre os impactos tanto durante a fase de execução quanto na fase de operação da rodovia, em momento posterior. As informações coletadas ajudarão a embasar estratégias de conservação da fauna e do ambiente no entorno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário