sexta-feira, fevereiro 19, 2021

Homem que matou ex namorada em Guarapuava é condenado a mais de 21 anos de prisão

O homem que matou a facadas a jovem Camila Ferreira (22 anos) em 2019, no distrito da Palmeirinha, em Guarapuava, foi condenado a 21 anos e 6 meses de prisão em regime fechado após ser julgado pelo Tribunal do Júri nesta quinta-feira (18). O juiz Adriano Scussiatto Eyng presidiu o júri.

De acordo com o magistrado, o réu foi condenado pelos crimes de homicídio (com as qualificadoras de dificultar a defesa da vítima e feminicídio) e furto. A pena foi fixada em 19 anos e 9 meses pelo primeiro crime, e 1 ano, 9 meses e 12 dias-multa pelo segundo.

“O acusado praticou, mediante mais de uma conduta, crimes de espécies diferentes, devendo incidir a regra do art. 69 do Código Penal (concurso material), com a soma das penas aplicadas a cada delito. Dessa forma, unifico a pena do acusado em 21 (vinte e um) anos e 06 (seis) meses de reclusão e 12 (doze) dias-multa”, consta na sentença assinada pelo juiz. 

O réu está preso há 1 ano e 5 meses.

MANIFESTAÇÃO

Durante o júri, do lado de fora do Fórum de Guarapuava, manifestantes se mobilizaram para pedir justiça pela morte da jovem. 

A manifestação reuniu familiares da vítima, membros do movimento estudantil UJC e do Coletivo Feminista Cláudia da Silva. Durante o ato, os integrantes ecoaram gritos de ordem e levantaram cartazes simbolizando e pedindo o fim da violência e feminicídio contra as mulheres.

Camila Ferreira foi vítima de feminicídio no dia 18 setembro de 2019, no distrito da Palmeirinha, em Guarapuava. A jovem estava grávida de três meses quando foi atingida por golpes de faca, às margens da PR 466. Depois da ação, o criminoso deixou o local. 

Desde então, a família e pessoas que se solidarizaram com a causa vem pedindo por justiça e pela prisão do assassino.

FEMINICÍDIO

Feminicídio é o termo designado ao crime de ódio baseado no gênero, definido como o assassinato de mulheres que se encaixem no contexto de violência doméstica. Nesse sentido, a Lei de feminicídio, n° 13.104/15, age em casos de homicídios cometidos contra essas vítimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário