terça-feira, fevereiro 09, 2021

Com caso suspeito em Guarapuava, Vigilância Ambiental ressalta a importância da vacinação contra febre amarela

Guarapuava tem um caso suspeito de febre amarela de acordo com o Departamento de Vigilância e Saúde do Município. O diagnóstico ainda não foi confirmado, mas  o cuidado de toda comunidade com relação a doença deve continuar. Para a Chefe de Divisão de Vigilância Ambiental, Suzana de Souza, o mosquito aedes aegypti, vetor da febre amarela, está adaptado a viver na região urbana, contudo, ele pode se reproduzir em diferentes ambiantes

“A população precisa entender que a febre amarela é uma doença grave que pode ser transmitida pelo mosquito tanto em área silvestre e regiões de mata, como em área urbana. É preciso estar atento,  principalmente quem mora em área rural.  É que os macacos vivem no mesmo ambiente que o vetor da febre amarela e por isso acabam sendo as primeiras vítimas da doença transmitida pelo mosquito.  O Macaco serve de sentinela,  para nós. Um Macaco morto, pode ser um alerta para o foco de transmissão de febre amarela ou outras doenças transmitidas pelo Aedes”, informou Suzana.

Suzana de Souza, também lembra da importância do repasse de informação à Secretaria de Saúde  quando um macaco morto for encontrado, “Eles podem sinalizar a presença do vírus na região.”, afirmou Suzana. Através da notificação dos moradores de que há um animal morto,  existe a enorme suspeita de que a causa da morte seja a  febre amarela.  Quanto antes os profissionais da saúde forem  notificados, mais rápido poderão realizar os procedimentos necessários para conter a proliferação da doença.

Monitoramento

Desde o início deste ano, o município implantou o Sistema de Informação em Saúde Silvestre, SISS-Geo, uma ferramenta da Fiocruz que norteia as ações de prevenção e vigilância, auxiliando no monitoramento de doenças que acometem pessoas e animais. Ainda assim, a vacina é a melhor proteção por ser gratuita e está disponível em todas as UBSs – Unidades Básicas de Saúde. “A escolha pelo local fica por conta do morador que pode optar pelo posto mais próximo da sua residência”, afirmou a Chefe de Divisão de Vigilância Ambiental.

Sintomas

A febre amarela é uma doença de evolução rápida que apresenta quadro febril agudo de até sete dias de duração. Além disso, dor de cabeça intensa, dor abdominal e possível manifestação hemorrágica, estão entre os sintomas. Com alguns destes sinais, a recomendação da secretaria de Saúde é que a pessoa procure a unidade de saúde mais próxima para receber o atendimento médico.

De acordo com Suzana, Guarapuava está trabalhando com o Sistema de Informação de Agravo de Notificação, SINAN, uma rede de informações que tem como objetivo coletar e transmitir os dados levantados pelo Sistema de Vigilância Epidemiológica. “Através da notificação da população, o mapeamento das arboviroses que estão circulando na região pode ser feito.”, concluiu.

Aedes Aegypti e Arboviroses

O vetor da febre amarela também é o responsável pela transmissão das arboviroses, (dengue, zika e chikungunya). “O aedes é um mosquito urbano e grande parte dos criadouros estão dentro de casa. Os estudos apontam que 90% dos focos são criados nesses locais.”, contou a profissional.

Dentre todos os cuidados, Suzana enfatizou algumas ações básicas que podem ser tomadas pela população. Entre elas, estão a limpeza da calha, a cautela no armazenamento da água e a atenção aos vasos de plantas. Isso, por que eles se destacam como potenciais criadouros.

Denúncias

A população pode realizar a denúncia de possíveis criadouros do mosquito pelo telefone 156.

Nenhum comentário:

Postar um comentário