quarta-feira, dezembro 23, 2020

MAIS 3 Macacos morrem por febre amarela no Paraná

A Secretaria da Saúde do Paraná confirmou nesta quarta-feira (23,) três novas mortes de macacos por febre amarela no Estado. Os casos foram registrados na região Sudoeste, nos municípios de Honório Serpa e Palmas, e no Sul do Paraná, em Cruz Machado.

Em todo este período epidemiológico, iniciado em julho, já foram notificadas 87 notificações epizootias. Dessas, 11 foram confirmadas para febre amarela em casos de macacos mortos, 32 foram descartadas, 35 são apontadas como indeterminadas e 9 seguem em investigação.

Nesse período, o Paraná não registrou casos de febre amarela em humanos. Das 10 notificações registradas, nove foram descartadas e uma está em investigação.

“Apesar de não termos casos de febre amarela em humanos, estamos em alerta para a circulação do vírus em função das mortes de macacos confirmadas. Estes animais não transmitem a doença; da mesma forma que o homem eles são contaminados. Por isso os macacos são considerados sentinelas e sinalizadores da presença do vírus”, afirmou o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Vacina

A Secretaria da Saúde recomenda à população a vacinação contra a febre amarela. A vacina está disponível em toda a rede de saúde pública e quem tem entre 9 meses de idade e 59 anos e nunca tomou uma dose deve se vacinar.

Os sintomas iniciais da febre amarela são: febre de início súbito e duração de até sete dias, associada a dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dor no corpo e dor abdominal. Esses sintomas se confundem com outras doenças como leptospirose, gripe ou dengue.

A febre amarela pode ter evolução rápida, em cerca de 10 % dos casos, para formas graves com icterícia (amarelão da pele), dor abdominal intensa, sangramentos e falência renal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário