segunda-feira, dezembro 28, 2020

Concessionárias de pedágio têm 119 quilômetros de obras e 16 intervenções atrasadas no Paraná

As concessionárias que administram as rodovias pedagiadas do Paraná ainda precisam entregar um total de 119 quilômetros de obras atrasadas nas estradas do estado até novembro do ano que vem, quando se encerra o contrato de concessão com o governo do estado. Também há 16 intervenções estruturais, como a construção de trevos e interseções, em que o prazo determinado em contrato já estourou. 

O levantamento foi feito pelo deputado estadual Homero Marchese (PROS) e sua equipe. Durante cinco dias eles percorreram todas as estradas pedagiadas no estado, que pertencem ao chamado Anel de Integração do Paraná, verificando o que estabelecia o contrato com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) e os acordos de leniência firmados com o Ministério Público Federal no âmbito da Operação Lava Jato.

O levantamento indica que todas as concessionárias contam com alguma obra incompleta, seja uma duplicação, a adição de uma terceira faixa ou a construção de uma interseção. Somente a Caminhos do Paraná precisa entregar 71 quilômetros de duplicações nas BRs 277 e 476 e mais seis obras de engenharia. O raio-x das estradas feito pelo deputado mostra que ainda há 66 quilômetros de obras que precisam entregues até novembro do ano que vem, mas que estão dentro do cronograma previsto nos contratos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário