quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Governo do Paraná inicia pesquisa com pais e dos professores sobre volta às aulas

A Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed) lançou nesta quarta (5) uma pesquisa on-line que vai ouvir os pais e responsáveis de 1,07 milhão de alunos da rede estadual de ensino e mais 70 mil profissionais da Educação a respeito do retorno às aulas. A pesquisa pretende captar o posicionamento de todos os envolvidos sobre o assunto e faz parte do protocolo de segurança apresentado ao Comitê de Volta às Aulas. A data de um possível retorno será definida pela Secretaria de Estado da Saúde, em função da pandemia do coronavírus. Alguns estabelecimentos de ensino privado também iniciaram pesquisa sobre o retorno de aulas. 

A pesquisa para a rede estadual ficará no ar até a próxima terça-feira, 11 de agosto, sendo que o seu resultado será divulgado no dia 14, sexta-feira. Será encaminhada aos pais e profissionais da rede por e-mail. Os pais também receberão o link por mensagem SMS. “Depois de criarmos um protocolo robusto e seguro de retorno às aulas, já aprovado pelas autoridades de Saúde, chegou a hora de ouvirmos os pais e professores da rede estadual de ensino”, disse o diretor-geral da Seed, Gláucio Dias. 

A Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed-PR) divulgou no último sábado o Protocolo de Retorno de Aulas Presenciais no Paraná na íntegra. O protocolo já foi aprovado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e vale para rede pública e privada de ensino. O protocolo confirma o ensino híbrido, dividido entre aulas presenciais e online, a volta escalonada, mas dá às famílias o direito de escolher se os filhos retornarão às escolas: "Estudantes que acompanham as atividades não presenciais de forma satisfatória e que demonstraram bom rendimento na avaliação diagnóstica, podem continuar exclusivamente em atividades não presenciais, se os pais ou responsáveis assim concordarem", diz o documento. Os pais ou responsáveis que decidirem pelo retorno presencial do estudante deverão apresentar o termo de ciência assinado, no qual se comprometem que o aluno seguirá as normas de higiene, usará máscaras e que a escola será avisada em caso de sintomas de coronavírus. " Após amplo debate com todas as entidades que integram a Educação do Paraná, foi criado um modelo que garante a melhor segurança sanitária para nossos alunos, adotando os melhores modelos do Brasil e do mundo”, diz Gláucio Dias. De acordo com o documento, os estudantes serão divididos em grupos, que farão revezamento permanecendo por uma semana em aulas presenciais e por uma semana em aulas remotas (on-line). As escolas terão que fazer o levantamento sobre quantos alunos retornarão às aulas e quantos continuarão no ensino online, para organizar o retorno de maneira que haja o distanciamento mínimo de 1,5 metros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário