domingo, 29 de novembro de 2020

Universidades estaduais têm ações para atender idosos durante a pandemia

Os idosos são especialmente atingidos pela pandemia de coronavírus. São os mais afetados pelo distanciamento social, porque para grande parte deles essa medida interrompeu rotinas sedimentadas muitas vezes por décadas. Além disso, embora as chances de contágio pelo novo coronavírus sejam as mesmas para todos, os idosos têm um maior risco de agravamento da doença.

Os idosos são especialmente atingidos pela pandemia de coronavírus. São os mais afetados pelo distanciamento social, porque para grande parte deles essa medida interrompeu rotinas sedimentadas muitas vezes por décadas. Além disso, embora as chances de contágio pelo novo coronavírus sejam as mesmas para todos, os idosos têm um maior risco de agravamento da doença.

Por isso, as universidades estaduais do Paraná desenvolvem ações voltadas à saúde física e mental das pessoas nesta faixa etária. As atividades são desenvolvidas por profissionais da área da saúde, contratados pelo Governo do Estado como bolsistas.

Desde o mês de abril, 1,2 mil bolsistas atuam em projetos de extensão em diferentes frentes, voltados ao combate e à prevenção da Covid-19 em diversas frentes, coordenados por professores das universidades estaduais e da Universidade Federal do Paraná. A proteção aos idosos é uma dessas frentes.

UNIVERSIDADE ABERTA – Cinco universidades estaduais contam com o programa Universidade Aberta para a Terceira Idade (Unati). Na UEM, são 1079 idosos matriculados, na UEPG são 589, mais 184 na Unioeste, 157 na Unicentro e 150 na Unespar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário