sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Gaeco cumpre 14 mandados de busca contra grupo investigado por lavagem de capitais e fraudes e EXPLORAÇÃO JOGO do BICHO

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpre 14 mandados de busca e apreensão contra uma organização criminosa investigada por lavagem de capital e fraudes, nesta sexta-feira (20). O grupo também é suspeito de explorar o jogo do bicho.

Os mandados são cumpridos em Arapongas, Londrina, Ibiporã, Rolândia, Maringá e Jandaia do Sul, no norte do Paraná.

Um alvo de mandado de busca e apreensão foi preso no cumprimento da ordem porque havia um mandado de prisão expedido pela Justiça Federal contra ele por outro crime, segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR).

A operação recebeu o nome de Enxágue e foi deflagrada após a Polícia Civil começar a investigar um grupo suspeito de explorar o jogo do bicho em Arapongas, em março de 2019. Também foi investigada a prática de lavagem de dinheiro proveniente do jogo ilegal.

Os mandados, expedidos pela 1ª Vara Criminal de Arapongas, são cumpridos contra contadores, em escritórios de contabilidade e “laranjas” do esquema de lavagem de dinheiro. O objetivo é apreender celulares, equipamentos de informática, documentos contábeis e dinheiro em espécie.

Mandados cumpridos anteriormente

Em setembro deste ano, o Gaeco e a Polícia Civil já haviam cumprido cinco mandados de busca e apreensão contra o presidente da Câmara de Vereadores de Arapongas, além de outros alvos relacionados à prática do jogo do bicho. As buscas resultaram na apreensão de mais de R$ 500 mil em espécie, veículos de luxo e outros elementos de prova do crime de lavagem de capital.

A partir da análise dos documentos apreendidos na ação, os promotores e policiais investigam a ocultação de pelo menos R$ 3 milhões por meio de emissão de notas frias de venda de sementes de capim.

O Gaeco afirma que o produto foi supostamente comercializado para empresas de fachada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário