domingo, 22 de novembro de 2020

Candói - Jovem de 22 anos mata cachorro enforcado . Caso gera indignação e todos cobram providências

O ser humano tem dado provas de que não há limites, quando o assunto é violência. A crueldade e a frieza de um morador de Candói começa a vir à tona, uma semana depois de um crime contra o próprio animal.

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 17h40 de sábado dia (14), uma representante da associação de proteção aos animais de Candói compareceu ao Destacamento da PM.

Conforme relato da mulher aos policiais, um jovem de 22 anos tinha enforcado o cachorro ao lado do Lago Municipal.

Os policiais estiveram no local e constataram o enforcamento do animal.

Entretanto, segundo a PM, o autor do crime fugiu. Porém, ainda de acordo com a PM, ele usa tornozeleira eletrônica e é conhecido nos meios policiais por furtos praticados na Região.

O crime chocou os moradores que viram o enforcamento em local público. 

ONG PATAS COM PATAS:

O crime que começa a repercutir uma semana depois revoltou moradores e protetores dos animais de Candói e também em Guarapuava. Em entrevista exclusiva a um jornal de Guarapuava na tarde deste sábado (21), a presidente da Ong Patas com Patas, Sil Toledo disse que o crime não passará em branco.

Desta forma, a presidente da Ong que existe desde 2013 em Guarapuava, afirmou que já fez a denúncia às autoridades competentes. Além disso, que organiza uma manifestação para pedir que se cumpra a nova lei dos maus tratos dos animais.

Conforme a protetora dos animais, o cachorro da raça Akita pertencia ao autor do crime. “Estamos fazendo uma mobilização com vários protetores de animais para organizar em breve uma manifestação em Candói”.

Ele já matou uma vaca do sogro e já espancou o sogro também. Depois de enforcar o cachorro, ele arrastou para enterrar. Segundo a presidente da Ong, pela nova lei dos maus tratos dos animais aprovada este ano, a pena para crimes como este aumentou. “Pode chegar a até cinco anos de reclusão. É inafiançável, mas ele precisa ser pego em flagrante para responder por maus tratos”.

Sil toledo disse também que uma postagem em redes sociais, mostra que após o crime, o denunciado foi tomar cerveja com namorada. De acordo com relato policial, a PM fez patrulhamento pelas proximidades, mas não encontrou o autor que fugiu após o crime.

Contudo, a protetora dos animais afirma que a polícia viu o crime e não fez a prisão em flagrante. Além disso, conforme Sil Toledo, os policiais que atenderam a ocorrência teriam dito: Nós não correremos atrás nem de casos de Maria da Penha [violência doméstica] -, quem dirá de caso sobre um cachorro.

Mas Conforme o Aspirante Yan, da Comunicação Social do 16º BPM, a ocorrência teve grande repercussão e foi encaminhada para os procedimentos cabíveis da Polícia Civil em Candói. “O nosso posicionamento é o que está no boletim, é o que o policial nos deu. Eu olhei nos olhos dos meus policiais, conversei com eles e eles me garantiram que não foi dessa forma”. Por fim, o Comando do 16º BPM informou que será aberta uma investigação, para apurar se houve ou não alguma omissão ou irregularidade, por parte dos policiais militares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário