quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Campanha tem um candidato assassinado a cada três dias no país

Ao menos 15 candidatos nas eleições municipais deste ano foram assassinados no país desde o dia 17 de setembro, primeiro dia após o fim das convenções realizadas pelos partidos que oficializaram as candidaturas.

Foram mortos 14 candidatos a vereador e um candidato a prefeito em cidades de interior em 12 estados, o que significa uma média de assassinato ligado à eleição a cada três dias.

Ainda foram registrados no mesmo período ao menos 19 tentativas de assassinato de candidatos com armas de fogo. Em parte dos casos, os candidatos chegaram a ser atingidos por tiros, mas sobreviveram.

O levantamento é do professor Pablo Nunes, doutor em ciência política e coordenador do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania. Desde janeiro, ele já registrou a morte de pelo menos 80 políticos no país, dentre pré-candidatos, candidatos, ocupantes e ex-ocupantes de cargos eletivos.

No caso dos políticos assassinados neste ano eleitoral, diz o professor, há um padrão de candidatos mortos em emboscadas com tiros em locais públicos, o que sugere a possibilidade de execução na maior parte dos casos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário