terça-feira, 6 de outubro de 2020

PARANÁ - Parlamentares defendem adoção de modelo de menor preço para o pedágio

Alep - Os deputados que integram a Frente Parlamentar de Encerramento dos Contratos de Pedágio, da Assembleia Legislativa do Paraná, defenderam, em uma nova reunião por videoconferência, nesta semana, a adoção de uma modelagem de menor preço para as novas concessões de pedágio nas estradas do Paraná. Os contratos do modelo atual se encerram em novembro do ano que vem. Até lá, uma série de estudos está sendo realizada para que a licitação com outro modelo seja lançada. A reunião contou com a participação de parlamentares, entidades de classe e associações de municípios de diversas regiões do Estado.

O coordenador da Frente Parlamentar, deputado Arilson Chiorato (PT), defendeu a ampliação da discussão e a elaboração de um documento, representando toda a sociedade paranaense, expressando a insatisfação contra o atual modelo. “O pedágio é um tema muito delicado, por isso estamos debatendo o encerramento dos atuais contratos e os novos modelos a serem adotados. Os modelos apresentados inspiram preocupação.

 O Paraná não pode perder a oportunidade de construir um modelo legal, transparente e justo”, afirmou Chiorato. Uma nova reunião da Frente está previamente marcada para a próxima segunda-feira , 5.

O presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB), se posicionou “totalmente favorável à mudança do modelo; participei, no último dia 14, do lançamento Frente Parlamentar de Encerramento dos Contratos de Pedágio. A Assembleia dará todo o apoio e participará ativamente da construção de um novo modelo de concessões, mais justo, que diminua os custo dessas tarifas para a população do Paraná”.

O primeiro secretário da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), defendeu a adoção de uma tarifa de menor preço. “Estamos vendo a tentativa do governo federal de impor uma taxa de outorga com o modelo híbrido. Não podemos aceitar esta imposição. Temos de ir contra qualquer coisa que não seja o menor preço. Esta é hora de nos mobilizarmos”, defendeu. O deputado Tercílio Turini (CDN) concordou.

 “Esperamos anos para este debate e não podemos errar mais, senão vamos ficar como nos últimos 20 anos. Temos de ter o entendimento de que a melhor modelagem é a de menor preço”, disse. Visão semelhante tem o deputado Nelson Luersen (PDT). “Defendo que a licitação seja a do menor preço de tarifa. Vamos adotar um modelo que o setor produtivo paranaense suporte”, ponderou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário