terça-feira, 6 de outubro de 2020

Mulheres de detentos do Paraná montam acampamento no Centro Cívico

Um grupo entre 60 a 70 mulheres estão acampandas desde a sexta-feira passada na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico. Elas são mulheres e mães de detentos do Sistema Penal do Estado, e que estão desde março sem poder fazer visitas.

Além de montar acampamento, as mulheres também estenderam faixas pedindo a flexibilização neste momento em que várias atividades fazem a retomada. “Não estamos pedindo que tudo volte ao normal, mas que tenhamos a possibilidade de visitas a cada quinze dias, nem que seja uma hora, seguindo os protocolos de saúde”, diz uma das manifestantes, que pediu para não ser identificada.

Segundo ela, as mulheres e mães poderiam inclusive ajudar neste momento, levando o álcool gel e máscaras para os familiares presos, além de comida, uma outra reclamação do grupo. Também lembra que a situação no Paraná é uma das melhores no País e que outros estados começaram a liberar as visitas. “Seguro 100% só se estivésse tudo fechado: praia, shopping, estádio”, diz.

Nesta segunda-feira (5), o movimento recebeu a informação de que o Departamento Penitenciário daria uma resposta para a demanda delas ainda nesta terça-feira (6).

Em agosto, familiares e amigos dos presos já haviam realizado outra manifestação no mesmo local. Na época eles pediam a testagem em massa para os detentos e identificação daqueles que foram infectados pelo coronavírus, entre outras reivindicações.

No Paraná são cerca de 33 mil pessoas presos em 33 pentieciáiras e 37 cadeias no Estado. Até agosto, 471 presos teriam tido o diagnóstico para a Covid-19 confirmados. Na época, 423 já estavam recuperados.

Um outro ato também aconteceu três semanas antes, mas desta vez em frente ao Departamento Penitenciário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário