sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Acusado de chefiar organização criminosa em São Miguel do Iguaçu é denunciado pelo MP

O Ministério Público do Paraná, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de São Miguel do Iguaçu, no Oeste do estado, ofereceu nesta quarta-feira, 14 de outubro, nova denúncia contra um empresário investigado na Operação WO como possível líder de duas organizações criminosas. Preso e já denunciado por diversos crimes, como organização criminosa, falsidade ideológica, fraude a licitações e lavagem de dinheiro, o empresário foi agora denunciado pelo crime de denunciação caluniosa, cometido contra uma delegada de polícia.

Conforme a denúncia, o empresário formulou representação na Corregedoria da Polícia Civil contra a delegada, alegando que ela teria praticado abuso de autoridade ao apreender um automóvel seu de forma ilegal, sem ordem judicial, durante a Operação WO. Entretanto, ao contrário do afirmado pelo empresário, havia ordem judicial expressa para a apreensão do veículo, sendo que o denunciado sabia disso e fez a representação indevida contra a delegada simplesmente para tentar gerar transtornos à autoridade policial.

Preso em 5 de outubro a pedido do MPPR, o empresário é suspeito de liderar organizações criminosas que receberam do Município de São Miguel do Iguaçu, nos últimos anos, cerca de R$ 18 milhões em contratos administrativos supostamente fraudados. Na denúncia apresentada nesta semana, o MPPR requereu ainda que o empresário seja condenado a pagar R$ 5 mil de indenização por danos morais à delegada de Polícia. O crime de denunciação caluniosa tem pena prevista de dois a quatro anos de prisão, além de multa.

Processo número 0002566-11.2020.8.16.0159.

Nenhum comentário:

Postar um comentário