sexta-feira, 18 de setembro de 2020

MP-PR denuncia 14 suspeitos de envolvimento em esquema de corte ilegal de araucárias nativas no Paraná

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou à Justiça 14 pessoas suspeitas de estarem envolvidas em um possível esquema de favorecimento de licenças ambientais, que teriam autorizado o corte ilegal de mais de 1 mil araucárias nativas, entre 2018 e 2019, em Palmas, no sul do Paraná, e em Pato Branco, no sudoeste. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (17).

Os investigados são servidores públicos do Instituto Água e Terra (IAT), agricultores, empresários, advogados e engenheiros ambientais, conforme o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná.

As cinco denúncias apontam indícios da prática de corrupção passiva, corrupção ativa, falsidade ideológica, danos ambientais e lavagem de dinheiro, segundo o MP-PR. Quatro delas foram apresentadas na comarca de Palmas, no sul do Paraná, e uma em Pato Branco, no sudoeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário