sábado, 22 de agosto de 2020

Paraná foi o quarto estado que mais criou vagas de trabalho formal em julho

Após registrar retrações consecutivas entre os meses de março e maio e alcançar um resultado minimamente positivo em junho, o Paraná conseguiu no último mês um salto expressivo na criação de empregos, registrando o resultado mais positivo desde que a pandemia do novo coronavírus começou a afetar o país, em meados de março. Informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira (21 de agosto) pelo Ministério da Economia, mostram que o estado criou 8.833 novas vagas de trabalho no sétimo mês do ano.

O resultado reflete a diferença de um total de 79.556 admissões e 70.723 desligamentos no último mês. Além disso, o resultado positivo acompanha o verificado em todo o país - em julho, o Brasil contratou 1.043.650 trabalhadores formais e demitiu 912.640 pessoas, com um saldo líquido de 131.010 vagas abertas.

Entre todas as unidades federativas, o Paraná foi o quarto estado que mais criou vagas de trabalho em julho, atrás apenas de Santa Catarina (+10.044), Minas Gerais (+15.843) e São Paulo (+22.967).

Considerando os cinco grandes grupamentos pesquisados (agropecuária, comércio, construção, indústria e serviço), apenas um deles teve retração no último mês: o de serviços, que contratou 26.427 pessoas e demitiu 27.797, com saldo de -1.370. Por outro lado, a indústria teve grande destaque, com a abertura de 6.560 postos de trabalho (22.816 contratações e 16.255 desligamentos), seguido pela construção, com +2.003 (9.027 admissões e 7.024 demissões).

No ano, quase 40 mil postos de trabalho fechados

Desde o início do ano, o Caged informa que o Paraná fechou 39.379 postos de trabalho, resultado de um total de 624.249 admissões ante 663.628 desligamentos.

O resultado negativo reflete diretamente os efeitos da pandemia de coronavírus sobre a atividade econômica. No começo do ano, o cenário que se desenhava era animador. Nos primeiros dois meses foram abertas 17.932 e 28.720 novos postos de trabalho, respectivamente. Na sequência, porém, veio uma sequência de retrações entre março e maio, quando o Paraná viu fechar 97.311 postos de trabalho. Apenas em abril, por exemplo, o saldo ficou negativo em 59.022.

Considerando os grandes grupamentos econômicos, o setor que mais fechou vagas de emprego foi o comércio, com -26.024 (150.586 admissões e 176.610 desligamentos). Em seguida aparece o setor de serviços (-24.824, com 256.981 contratações e 281.805 demissões) e a indústria (-1.071, refletindo 138.262 contratações e 139.353 desligamentos).

Por outro lado, a agropecuária e a construção registram saldo positivo nos primeiros sete meses do ano, com 3.247 e 9.263, respectivamente. No primeiro caso, o resultado reflete o saldo de 14.839 admissões e 11.592 desligamentos. No segundo, o saldo positivo se deve a um total de 63.561 contratações ante 54.268 desligamentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário