quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Movimento questiona legitimidade de liderança indígena em Mangueirinha

Um movimento desencadeado na Terra Indígena de Mangueirinha está questionando a legitimidade da liderança do atual cacique João Santos. Uma comissão composta por opositores à gestão da comunidade foi formada, buscando destituir a liderança e realizar novas eleições para cacicância.

A mobilização conta com representantes das três aldeias que compõem da Terra Indígena. Os manifestantes questionam decisões e atitudes tomadas pelo cacique, como a venda de terras da reserva, má conservação de espaços pertencentes à comunidade e transferência de famílias da Terra Indígena.

A comissão afirma que conta com reconhecimento por parte do Ministério Público Federal e da Funai (Fundação Nacional do Índio) para responder pela liderança da comunidade indígena.

Por sua vez, o cacique João Santos nega todas as acusações, rebatendo que segue à frente da Terra Indígena. Ele diz que em momento algum efetuou desvios ou tomou decisões sem o conhecimento da comunidade.

Segundo o cacique, após reunião no Ministério Público Federal nesta quarta-feira (19), lhe foi garantida a posição de liderança, aguardando agora o andamento da apuração das acusações feitas pela comissão.

Procurada pelo Departamento de Jornalismo da Rádio Club de Palmas, a assessoria de comunicação do Ministério Público Federal informou que o órgão, momentaneamente, não irá se pronunciar sobre o caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário