sábado, 29 de agosto de 2020

Justiça manda soltar policiais militares suspeitos de extorsão

A Justiça mandou soltar dois policiais militares que estavam presos desde maio por suspeita de extorsão em Londrina, no norte do Paraná. Em liberdade, eles são monitorados por tornozeleiras eletrônicas.

A decisão é da juíza Camila Covolo de Carvalho e foi publicada na quarta-feira (26).

Os militares foram presos pela Corregedoria da Polícia Militar (PM) porque, de acordo com as investigações, os dois ameaçavam pessoas que emprestavam dinheiro e não conseguiam pagar as dívidas.

À época da operação, a Corregedoria detalhou que a apuração do caso começou após uma denúncia feita ao Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Os militares foram presos quando negociavam o pagamento de uma dívida com a pessoa que revelou o caso às autoridades.

No flagrante, os dois estavam com um veículo recebido de outro devedor, com uma arma sem registro, diversos cartões, R$ 9 mil em dinheiro e R$ 7 mil em cheques.

Liberdades provisórias

Conforme a decisão judicial, não foram demonstrados requisitos legais para sustentar a manutenção das prisões preventivas.

Em liberdade, além do uso de tornozeleiras eletrônicas, os militares deverão permanecer em casa entre 21h e 6h em dias da semana. Aos sábados, domingos e nas folga não poderão deixar os imóveis.

Os militares também deverão comparecer em juízo todos os meses, não poderão se ausentar da comarca sem autorização da Justiça e estão proibidos de frequentar bares e boates.

Nenhum comentário:

Postar um comentário