quarta-feira, 8 de julho de 2020

Ministério Público da Bolívia pede prisão de Evo Morales por terrorismo

O Ministério Público da Bolívia pediu nesta 2ª feira (6.jul.2020) a extradição e prisãoi do ex-presidente Evo Morales por terrorismo e financiamento da prática. Ele vve como refugiado na Argentina. Em meio a protestos na Bolívia, Evo renunciou à Presidência em 10 de novembro e depois foi ao México.

A acusação atual faz parte do chamado “caso áudio”, que investiga uma gravação telefônica entre Evo Morales e o ativista Faustino Yucra. No áudio, o ex-presidente boliviano ordenava que apoiadores bloqueassem ruas e estradas como protesto contra o Exército.

No áudio, ouve-se: “Não deixe entrar comida nas cidades, vamos bloquear, cerco de verdade”. O MP boliviano concluiu que a voz pertence ao ex-presidente. “As amostras têm uma alta probabilidade de identificar a voz do Sr. Evo Morales Ayma”. Segundo a denúncia, as amostras foram testadas por especialistas da Colômbia.

Essa é a 2ª vez que a Bolívia pede a prisão de Evo Morales. Em dezembro de 2019, ele foi acusado pelo governo interino do país de ter cometido crimes como sedição (rebelião contra o Estado), terrorismo e financiamento ao terrorismo.

 As informações são do Poder360.

Nenhum comentário:

Postar um comentário