quinta-feira, 18 de junho de 2020

Réplica da Vila do CHAVES em Pato Branco ganha forma e chega a RETA FINAL

As obras na tão esperada Vila do Chaves, em Pato Branco, estão na reta final. Após quase dois anos de construção, a Vila que será replicada em um condomínio residencial no bairro Fraron, começa a receber os últimos ajustes.

Inspirado no episódio 118 de Chaves [Ser Pintor É Uma Questão De Talento, parte 1], o condomínio, que terá três kitnets, está previsto para ficar pronto até, no máximo, metade de 2021.

De acordo com o proprietário da réplica real da Vila do Chaves no Município, Wilson Henrique Tatto, a finalização da obra vem sofrendo atrasos tanto pela pandemia, que dificultou a compra de alguns materiais e da contratação de mão de obra, quanto também pela estrutura da obra, que é totalmente fora dos padrões da construção civil.

“Além disso, tivemos que mandar fabricar algumas coisas, como as janelas e portas, que não são convencionais, e também os itens de decoração da vila, que não são comuns de encontrar”, explicou contando que sua maior dificuldade no momento é encontrar o triciclo do Kiko, que será utilizado na decoração. “Eu vasculhei sites para comprar, mas não consegui achar um que fosse similar ao do seriado, talvez tenha que fabrica-lo.”

O projeto

Em entrevista ao Diário do Sudoeste em fevereiro do ano passado, o engenheiro responsável pela obra, Haron Bonamigo, revelou que, somente para planejar como seria a planta do condomínio, foi necessário quase um ano, pois, segundo ele, era preciso dimensionar o projeto de acordo com as medidas do seriado. “Como não tínhamos as medidas exatas da vila, dimensionamos de acordo com as proporções e medidas do terreno para ficar o mais parecido possível. Fomos adequando de acordo com as decorações e assistimos alguns episódios várias vezes para não perder nenhum detalhe”, disse na época.

Além da planta do projeto, toda a construção da obra, desde a aquisição dos materiais específicos quanto da decoração foram sempre um desafio presente na recriação da Vila. Assim como em todo o processo, a pintura do condomínio também será diferente da utilizada normalmente em construções. Segundo Tatto, será utilizada uma tinta preparada de forma especial (com processo de envelhecimento) para tornar mais real a réplica.

Adaptações na estrutura

O residencial terá três kitnets, que poderão ser alugadas. Nelas, serão retratadas as casas da dona Florinda, da Bruxa do 71 e do seu Madruga (casa 72).

Em entrevista ao Diário, no ano passado, o proprietário havia afirmado que, o interior das residências não será igual ao do seriado, por uma questão de conforto. Segundo ele, em Chaves, os imóveis tinham uma estrutura que não proporcionam comodidade e praticidade.

Um exemplo disso, foi a adaptação na porta (número 23) da casa da Dona Florinda. “Está sendo construída uma porta falsa, no segundo andar, também falso. Tivemos a ideia de fazer isso para conseguir simular o segundo andar do condomínio, que aparece na sala, mas que na realidade não tem como construir nesse nível”, revelou.

A Vila

Depois de pronta, a obra terá três finalidades. A primeira, segundo Tatto, é que o ambiente se torne um local para locações, onde as pessoas poderão realmente morar em uma das casas, ou apenas alugar por aplicativos, como Airbnb, para passar um período.

Além disso, o local também está sendo projetado para se tornar um ponto turístico em Pato Branco. De acordo com o proprietário, a Vila será aberta à visitação ao público externo, uma vez por mês, onde, para a entrada será cobrado alguns itens, que serão doados a comunidade carente do Município.

Por fim, a Vila também poderá ser usada para realização de festas, eventos e também cenário para fotos.

Redação/Diário do Sudoeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário