terça-feira, 16 de junho de 2020

4° CRPM/ 16º BPM - SOLENIDADE DE ANIVERSÁRIO DO MAIOR BATALHÃO DO ESTADO E INAUGURAÇÃO DA PRAÇA DOS HERÓIS DO 16º BPM

    
O maior batalhão do Estado do Paraná, o 16º BPM, completou ontem 31 anos desde sua criação. Vale ressaltar que seus primórdios remontam os idos de 1868, quando contava com seis bravos homens que formavam o Destacamento da Força Policial da Província. Já em 1950 tornou-se uma Região Policial Militar. Até 1976 integrava o 1º BPM, sendo sua 5ª Cia. Tornou-se a partir de então a 3ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar), instalada em caráter precário, a qual abrangia sete municípios e uma população aproximada de 400.000 habitantes.

Em 14 de Junho de 1989, o Governador do Estado do Paraná à época, Álvaro Dias, assinou o Decreto nº 5.195, transformando a 3ª CIPM em Batalhão, no atual 16º Batalhão de Polícia Militar com jurisdição sobre 11 municípios. Atualmente a divisão política compõe-se de 24 municípios, contando nos dias de hoje com 487 policiais militares ativos. O 16º BPM está dividido em quatro Companhias, a 1ª Cia tem sede em Guarapuava, a 2ª em Laranjeiras do Sul, a 3ª em Pitanga e a 4ª Cia em Prudentópolis.

Neste 15 de junho, devido a medidas restritivas do COVID 19, foi realizada uma cerimônia na sede do 16º BPM, em Guarapuava, com transmissão ao vivo pelo facebook, com mais de 1.000 visualizações. Esteve presente o Comandante-Geral da Polícia Militar e também ex-comandante do 16, Coronel QOPM Péricles de Matos, que abrilhantou o evento. Nesta oportunidade alguns oficiais e praças da ativa, reserva e reforma foram condecorados com a Medalha Lobo Bravo, os quais representaram toda a tropa desta unidade. Além disso, instituições amigas receberam a moeda do 16: Exército Brasileiro, Poder Judiciário do Estado e a co-irmã Polícia Civil.

Na oportunidade, houve a inauguração da "Praça Sgt. Prado", em homenagem aos policiais que tombaram em serviço no 16º. O monumento que figura na praça tem uma simbologia que o define. O mármore significa a pedra, fria e consolidada, o fechamento de um ciclo, o término da permanência no Plano Terrestre. O capacete vazio simboliza o Policial Militar que já não mais usa o uniforme, que já não usa seus equipamentos de proteção, que já tombado, não enverga mais em vida o fardamento e as insígnias militares. Os fuzis com o cano voltado ao solo marcam o tombamento da arma, o instrumento de defesa já não mais ativo, pois, o Operador Militar, já sem vida, não mais o manuseia em defesa da Segurança Pública. E os fuzis cruzados demonstram a união, a junção, a missão ombreada de militar para militar, quando um é ferido, todos sentem a dor. E quando um Militar é tombado, todos sentem, todos de certa forma tombam juntos.

A idealização e inauguração da praça reforçam a política do Comando do 16º, Major Cristiano Cubas, de valorizar os seus policiais militares e se orgulhar do seu passado. Em sua fala, o Comandante apresentou resultados expressivos que colocam o 16º BPM em posição de destaque na Polícia Militar, sendo um batalhão com tropa operacional e empenhada em prestar o melhor serviço à população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário