sexta-feira, 20 de março de 2020

Abrabar defende que bares não paguem impostos enquanto forem obrigados a fechar

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) divulgou nesta quarta-feira (18) uma nota em que defende uma ideia polêmica: a de que os bares que forem obrigados a fechar por causa do coronavírus não paguem os impostos, taxas e multas durante o período em que estiverem fechados. Ainda pedem apoio dos governos para atravessar a crise.

Em algumas cidades, os poderes públicos obrigaram bares, restaurantes e estabelecimentos similares a fechar as portas por causa da pandemia. A ideia é evitar aglomerações.

A Abrabar, contudo, prega o que chama de “desobediência fiscal”. “Por não termos outra alternativa de sobrevivência entre escolher pagar os tributos ou salários de nossos colaboradores, optamos pela dignidade humana e solidariedade humanitária aos seus familiares”, diz a associação.

Veja a íntegra da nota da Abrabar:

“Comunicamos a todos os membros de nossa categoria de Gastronomia e Entretenimento que nos municípios, unidades da Federação que nos obrigaram a paralisar as operações e atividade de forma compulsória, por determinação ou recomendação, inclusive por pressão da opinião pública, e, por não termos outra alternativa de sobrevivência entre escolher pagar os tributos ou salários de nossos colaboradores, optamos pela dignidade humana e solidariedade humanitária aos seus familiares.

Informamos portanto que a recomendação aos estabelecimentos prejudicados pelas contingências da presença do COVID-19, será a de desobediência fiscal e não pagamentos dos impostos, tributos, taxas e multas municipais, estaduais ou federais, até que seja concedida anistia total bem como apoio governamental para está dolorosa travessia pela sobrevivência e manutenção dos empregos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário