terça-feira, 18 de agosto de 2020

Policiais Militares e Civis da Capital são alvos de mandados em operação contra o tráfico de drogas

O Ministério Público do Paraná e a Corregedoria-Geral da Polícia Militar do Paraná realizaram na sexta-feira, 14 de agosto, a Operação Zitianos, voltada a coibir a participação de agentes públicos – policiais militares – no tráfico de drogas na capital, especificamente na Cidade Industrial de Curitiba. 

Foram cumpridos quatro mandados de prisão e dois de suspensão de função pública contra PMs e 11 ordens de prisão e 20 de busca e apreensão contra civis.

As ilegalidades chegaram à Polícia Militar nos canais da Corregedoria, que instaurou inquérito para apurar a situação, acompanhado pela Promotoria de Justiça da Vara da Auditoria de Justiça Militar Estadual. Foi verificado que os quatro policiais, lotados no 23º Batalhão de Polícia Militar e no Regimento de Polícia Montada, tinham conhecimento das atividades criminosas, mas exigiam (ou aceitavam) receber vantagens indevidas para não realizarem atos de ofício durante seus turnos de serviço – não prevenindo ou reprimindo o tráfico de drogas na região da CIC.

Tráfico – Em cinco meses de investigação foram registradas várias situações em que flagrantes e abordagens de tráfico conduzidos pelos policiais investigados não foram reportados, bem como “visitas” dos PMs à paisana, em horário de folga, aos pontos de tráfico, onde exigiam, mediante ameaças e constrangimento, vantagem indevida de traficantes para não efetuarem as prisões e apreensões previstas na lei.

Como entre as “vítimas” dos PMs havia criminosos, a 4ª Promotoria de Justiça de Prevenção e Persecução Criminal de Curitiba também tomou parte nas investigações. Os mandados de prisão e de busca e apreensão contra civis foram expedidos pelos juízos da 2ª Vara Criminal de Curitiba. Os que tratavam dos policiais, pela Vara da Auditoria de Justiça Militar Estadual.

Crimes – Ao final da operação foram feitas 15 prisões (sendo quatro de PMs) e apreendidos um veículo, um simulacro de arma de fogo, setenta porções de cocaína, porções de crack, maconha e comprimidos de ecstasy, uma balança de precisão e perto de R$ 20 mil (em espécie). Os policiais serão indiciados pelos crimes de concussão, corrupção passiva, prevaricação, tortura e abuso de autoridade, entre outros delitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário