quarta-feira, 12 de agosto de 2020

30 mil árvores vão ser derrubadas para construção de linha de energia entre Pinhão e Guarapuava

Das margens do Rio Iguaçu, em Pinhão, partindo de uma das Subestações da Usina de Foz do Areia - a 12ª maior Hidrelétrica do Brasil em capacidade de geração, cabos de uma nova linha de transmissão de energia vão cortar 116 km até chegar em Guarapuava, onde uma nova subestação está em obras. Nesse trajeto, serão 238 torres metálicas para sustentar os cabos. Nos pontos onde cada uma delas for instalada e em uma margem de até 46 metros abaixo das linhas parte da vegetação será cortada.

A empresa Engie – de capital aberto e com sede na França – recebeu autorização florestal para derrubar 30.072 árvores nativas nesse trecho da obra, incluindo espécies em extinção. O Instituto Água e Terra (IAT), que concedeu a autorização para multinacional, afirma que serão 34 hectares de desmatamento.

A partir da próxima segunda-feira (10), a Rádio Cultura vai publicar uma série de reportagens sobre a obra. Foram ouvidos representantes da empresa, de produtores rurais, especialistas no segmento de energia, ambientalistas e cientistas que avaliam diferentes aspectos da obra. Acompanhe em 94h3Mhz, no site, aplicativo e pelas redes sociais da Rádio Cultura.

Para erguer as torres a empresa pode derrubar, com autorização do IAT, até 1893 araucárias, também conhecido como pinheiro, árvore símbolo do Paraná e gravemente ameaçada de extinção. Outras 1812 imbuias poderão ser derrubadas, espécie também sob ameaça de desaparecer.

As árvores que não forem derrubadas para dar lugar a torres, poderão ser cortadas se estiverem abaixo dos cabos e até mesmo para viabilizar a colocação dos fios, com abertura de estradas e passagem de equipamentos pesados usados para instalar a rede.

Com Cléber Moletta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário