segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Suspeitos de matar menina no Paraná são denunciados pelo MP-PR por homicídio culposo

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou por homicídio culposo, quando não se tem intenção, dois homens suspeitos de matar uma menina de 5 anos em Jataizinho, no norte do Paraná.

Em maio de 2019, Alana Oliveira estava em casa com a irmã de 14 anos e uma amiga quando foi atingida por um tiro. A mãe da menina estava trabalhando. A criança chegou a ser socorrida, levada para um hospital, mas não resistiu e morreu.

Justiça manda prender suspeitos de morte de menina, em Jataizinho

Na época, dois homens foram apontados como responsáveis pelo crime, um deles, Esequiel Pinto de Godoi Filho, foi preso em novembro de 2019, e o outro está foragido até esta segunda-feira (27).

Investigações

Ao concluir as investigações, o MP-PR entendeu que o crime não foi premeditado, que o tiro foi acidental. Mas, a promotoria pediu que as penas aplicadas aos suspeitos tenham um acréscimo de 30% porque os envolvidos não prestaram socorro à vítima.

Em depoimento à Polícia Civil, Esequiel Pinto de Godoi Filho, que tem 36 anos, disse que desistiu de continuar fugindo porque foi ameaçado por outros criminosos.

“Procurei esclarecer a situação [junto aos criminosos], para não ser injustiçado. Imediatamente, pediram para me apresentar com advogado”, disse em depoimento.

Conforme a denúncia, Esequiel estava com Denis Del Anhol Marques , de 23 anos, na casa da família da menina.

A versão inicial era de que bandidos teriam invadido a casa e atirado. Depois, foi descoberto que o tiro partiu da arma de um dos suspeitos.

'Arma caiu no chão e disparou'

No depoimento, Esequiel detalhou o que aconteceu.

“A menina correu atrás da bolinha e trombou na mesinha. Conforme ela foi caindo para trás, puxou as mantas e entortou a pilha. Em cima desta pilha estavam duas peças [revólveres]. Uma dessas peças [revólver] caiu no chão e disparou", contou.

Segundo a denúncia, a dupla estava na casa planejando outros crimes para se vingar da morte do tio de Alana e irmão da dona do imóvel.

“Nem sabia onde estava a arma, só sabia que tinha uma ali”, disse.

Além desta denúncia, Esequiel Pinto de Godoi Filho responde a outro processo por homicídio qualificado.

Os dois suspeitos não têm advogados constituídos nesta ação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário