Guarapuava 200 Anos

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Adapar prorroga prazo para atualização de rebanhos

O prazo foi estendido para o dia 20 de dezembro. Quem não atualizar o cadastro estará sujeito a multa e pode ter a Guia de Trânsito Animal bloqueada.

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) prorrogou na sexta-feira (29) a atualização do cadastro de animais para até o dia 20 de dezembro (portaria nº 366). Os pecuaristas que não cumprirem o novo prazo estarão sujeitos a multa e podem ter a Guia de Trânsito Animal (GTA) bloqueada.

A atualização é obrigatória (Decreto Estadual 12.029/2014) para os produtores rurais que detêm sob sua responsabilidade animais de interesse econômico de qualquer espécie, como bovinos, bufalinos, cabras, ovelhas, suínos, cavalos, jumentos, mulas, galinhas, peixes e abelhas.

A campanha começou em 1º de novembro e encerraria neste sábado (30). “Nós decidimos estender o período de campanha para garantir o cumprimento da meta de 243,1 mil produtores cadastrados, o que deve fortalecer a transparência e controle do trânsito de animais no Paraná”, diz o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias.

Para fazer a atualização cadastral, basta acessar o site www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho ou comparecer às unidades locais da Adapar, escritórios de atendimento do município ou sindicatos rurais. Dúvidas podem ser esclarecidas por meio do link “Fale Conosco” no site www.adapar.pr.gov.br/modules/contato ou na unidade mais próxima.

Esse banco de dados auxilia na rastreabilidade e sanidade do rebanho, prevenindo diversas doenças. “Precisamos ter em vista a qualidade e a excelência exigidas pelo mercado”, afirma Dias.

FIM DA VACINAÇÃO – O Paraná não vacina mais animais contra febre aftosa. A instrução normativa que proíbe o uso e a comercialização da vacina foi assinada em outubro pelo Ministério da Agricultura.

A campanha de vacinação foi substituída pela de atualização do quantitativo do rebanho nos meses de maio e novembro. “A atualização pode ser feita pelos produtores em qualquer período do ano, mas será sempre obrigatória uma vez por semestre”, diz o gerente de Saúde Animal da Adapar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário