sábado, 31 de agosto de 2019

Justiça determina bloqueio de R$ 23,9 milhões de empreiteira e seis investigados na Quadro Negro

A Justiça determinou o bloqueio de bens no valor de R$ 23,9 milhões de uma empreiteira e de seis investigados na Operação Quadro Negro por improbidade administrativa. A decisão liminar do juiz Eduardo Lourenço Bana, da 4ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, é desta quinta-feira (29).

Ação na qual o bloqueio foi pedido pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) refere-se ao desvio de verba e medições fraudulentas no andamento das obras de três escolas do estado. A operação investiga desvios de mais de R$ 20 milhões de obras de construção e reforma de escolas públicas.

De acordo com o MP, o valor de R$ 23 milhões se refere à soma dos danos morais e materiais causados por desvio de verbas na construção e obras em três escolas estaduais e a multa civil estimada a empreiteiros e funcionários da Secretaria Estadual de Educação na época, entre 2012 e 2015.

A denúncia afirma que houve desvio de verbas e aditivos contratuais desnecessários por meio de medições fraudulentas nas obras mo Centro Estadual de Educação Profissional de Campo Largo, no Colégio Estadual Yvone Pimentel, em Curitiba, e no Centro Estadual de Educação Profissional de Ibiporã.

De acordo com os promotores, apenas na obra de uma das escolas, a construtora Machado Valente Engenharia Ltda recebeu R$ 3,2 milhões a mais do que deveria. O representante da empreiteira, Jairo Machado Valente dos Santos, é um dos investigados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário