terça-feira, 2 de julho de 2019

Justiça aceita denúncia contra Richa por irregularidades na duplicação da PR-323

       A Justiça Federal aceitou denúncia, na Operação Piloto, contra o ex-governador do Paraná, Beto Richa; o irmão dele, o ex-secretário Pepe Richa; o primo do ex-governador, o empresário Luiz Abi Antoun; e outras quatro pessoas. Richa vai responder pelos crimes de fraude à licitação, lavagem de dinheiro e corrupção.

O Ministério Público Federal aponta irregularidades nas obras de duplicação da PR-323, rodovia que liga Maringá, no norte do Paraná, a Francisco Alves, no noroeste. O grupo teria atuado em favor do Consórcio Rota das Fronteiras, composto por empresas como Tucumann Engenharia e Odebrecht.

Para garantir que outras empreiteiras não ameaçassem a licitação, os agentes públicos teriam descumprido algumas formalidades legais e, em troca, teriam recebido cerca de sete milhões e meio de reais. Pelo menos três milhões e meio teriam sido ocultados entre setembro e outubro de 2014, segundo o Ministério Público Federal. Os valores eram repassados por intermediários.

Ainda conforme o MPF, apesar de os valores terem sido solicitados como uma “ajuda” para campanhas eleitorais, “as evidências demonstram que o dinheiro foi usado para enriquecimento pessoal de agentes públicos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário