domingo, 3 de fevereiro de 2019

Usinas do RIO IGUAÇU - Risco de rompimento é real, mas pouco provável

Usina do Baixo iguaçu em Capanema

Todo processo de barramento tem um risco latente em relação à fragilidade que essa barragem possa oferecer. Nós, que vivemos em área que possui barragens - não importa se é de rejeito ou para usina hidrelétrica -, sempre existe o risco tangível de rompimento, pois nossas barragens são construídas em sequência, ao longo da calha de um mesmo rio temos várias barragens. Mas é claro que há uma confiança no processo de construção; para que isso viesse a ocorrer, seria necessário a ocorrência de um evento geológico ou climático fora do previsto”, destaca Rosana Biral, professora de Geografia da Unioeste de Francisco Beltrão. Adriano Araújo Silva, que trabalhou por quatro anos e meio como técnico de segurança durante a construção da Usina Baixo Iguaçu, acredita que as barragens da região são seguras.

 “Pelo processo que eu acompanhei, as formas de monitoramento estão melhores, até pelo material que foi usado, sendo rochoso nas extremidades e argila no núcleo.” Ele comenta que há meios de controle, como o pesômetro e a medição topográfica, havendo uma tolerância de deslocamento. 

O pesômetro é um sensor que mede a pressão, ou seja, a quantidade de água que está infiltrando na barragem, já a medição topográfica confere se há alguma abertura. Além disso, Adriano acrescenta que a Usina Baixo Iguaçu tem uma segurança a mais: a ensecadeira provisória ficou incorporada à barragem.

No caso do Rio Iguaçu, há cinco grandes barragens: 

Baixo Iguaçu (Capanema), Salto Segredo (Mangueirinha), Salto Santiago (Saudade do Iguaçu), Salto Osório (São Jorge D’Oeste) e Salto Caxias (Nova Prata do Iguaçu). Segundo Rosana, do ponto de vista ambiental, o risco de rompimento - apesar de potencial - é pouco provável. “O que temos como impacto grande para as barragens é o seu processo de formação, pois a construção de reservatórios implica na inundação de áreas à sua montante, o que causa impacto para a população, para os animais e são alterados vários elementos naquele ambiente.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário