sábado, 29 de dezembro de 2018

'Cyborg' tira Amanda do sério com provocação em coletiva do UFC 232

Na fria análise da magnitude dos dois combates que encabeçarão o UFC 232, neste sábado (29), o duelo entre Amanda Nunes e Cris 'Cyborg' seria até maior do que o entre Jon Jones e Alexander Gustafsson. Afinal, trata-se de uma superluta, a primeira da história das categorias femininas do Ultimate. Mas, devido a todo o contexto que circunda a revanche dos homens, a entrevista coletiva realizada nesta quinta (29) deixou as duas atletas à sombra da polêmica sobre o suposto doping de 'Bones'.

Grande parte da coletiva foi monopolizada pelas discussões entre Gustafsson e Jones, mas também sobrou espaço para uma contundente troca de farpas entre a baiana, campeã peso-galo (61 kg), e a paranaense, detentora do cinturão pena (66 kg). Embora elas tenham pregado respeito mútuo e destacado que não há nada pessoal interferindo no duelo, uma declaração de Cyborg tirou Amanda do sério.

"Sei que quando eu vencê-la no sábado, ninguém mais vai vê-la como a campeã dos 61 kg", afirmou Cris. Foi o que bastou para Nunes interrompê-la. Apesar dos protestos de 'Cyborg', que pediu para concluir seu raciocínio, Amanda tomou a palavra. "Eu vou continuar tendo meu cinturão. Vou lutar com você e descer para os 61 kg", contestou.

De maneira geral, porém, a parte feminina da entrevista coletiva foi pacífica. Não houve outro momento em que as duas discutiram, e boa parte das perguntas dos jornalistas se restringiu à expectativa para a luta. Questionada pela reportagem da Ag. Fight sobre o fato de ter superado as desconfianças do público quando chegou ao Ultimate, 'Cyborg' afirmou que foi tudo uma questão de tempo.

"Nunca dei valor ao que as pessoas falavam para mim, tentando me colocar para baixo todas as vezes. E toda vez que eu entrava para lutar, eu mostrava que iria provar o contrário, e não responder da forma que eles deveriam escutar, (e, sim,) só entrando no octógono e fazendo meu trabalho. Com certeza isso fez com que eu chegasse onde eu estou agora. Mostrando isso para eles, conquistando-os, porque muitas pessoas me julgavam apenas pelo que estava escrito na mídia, pelo que minha rival estava falando de mim. Mas quando as pessoas começaram a conhecer a Cris Cyborg, começaram a ser fãs, me seguir e isso que é mais importante e tem mais valor para mim", disse.

Cyborg tem 20 vitórias e uma derrota em sua carreira como lutadora profissional de MMA. Além destes combates, um triunfo de 2011 foi transformado em 'no contest', uma vez que a paranaense foi flagrada no exame antidoping. No Ultimate desde 2016, Cris tem cinco vitórias e colocará o cinturão pena em jogo contra Amanda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário